2022: Bolsonaro hoje corre em ‘raia única’, diz Mourão

‘PT não criou líder pós-Lula’

Não descarta sair de chapa

Vice foi ao Poder em Foco

O vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) disse que o presidente Jair Bolsonaro não tem hoje concorrentes para as eleições de 2022. Para ele, o PT, que chegou ao 2º turno em 2018, não conseguiu criar 1 novo líder que suceda ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

“Não surgiu nenhuma liderança dentro do Partido dos Trabalhadores capaz de ter a mesma atração para o eleitorado que o ex-presidente Lula tinha… Hoje eu vejo que o nosso presidente está correndo numa raia única e com boa velocidade.” 

A declaração foi feita em entrevista ao jornalista Fernando Rodrigues, apresentador do programa Poder em Foco, uma parceria editorial do SBT com o jornal digital Poder360.

Assista ao trecho (1min36s)

A entrevista completa vai ao ar no domingo (6.set.2020), no final da noite, no canal do Poder360 no YouTube e também no canal aberto SBT.

O general avalia que o PT perdeu força nos últimos 2 anos porque ficou muito dependente da figura de Lula. Mesmo que o ex-presidente tente emplacar como herdeiro Fernando Haddad –chamado de “poste” por Mourão–, o vice-presidente declarou que não há quem consiga disputar com Bolsonaro.

“Vamos esperar o que vai acontecer nessa eleição agora municipal. Eu vejo o partido dos trabalhadores tendo se enfraquecido. Ficou muito tempo dependente do ex-presidente Lula, não surgiu nenhuma liderança, por mais que o Lula batize aquele poste como herdeiro dele, mas não surgiu nenhuma liderança dentro do partido dos trabalhadores ainda capaz de ter a mesma atração para o eleitorado que o ex-presidente Lula tinha.”

Bolsonaro fala abertamente que disputará a reeleição daqui a 2 anos. Em maio, disse que ficará no cargo até janeiro de 2027.

Indagado sobre especulações de que seria substituído como vice na chapa de Bolsonaro na próxima eleição, Mourão não descartou a possibilidade. Ele, entretanto, disse que é leal a Bolsonaro e que o presidente sabe disso.

“O presidente sabe muito bem que eu sou formado na mesma escola dele e na nossa escola lealdade é virtude. Ele sabe que ele tem a minha lealdade. Agora, quando chegar no momento da eleição, pode ser necessário algum tipo de composição. A gente nunca descarta isso aí [sair da chapa de Bolsonaro].

Ele disse, entretanto, que não é o momento de se discutir essa possibilidade: “Eu acho que nós temos tanto problema agora pra resolver que vamos deixar essa conversa para quando chegar o momento certo.”

Mourão também declarou que não considera, atualmente, concorrer a outros cargos eletivos. Ele contou que seu título de eleitor é do Distrito Federal.

No momento, não. No momento eu não enxergo ainda nenhuma outra disputa. Mas a gente não pode dizer que dessa água não beberá. Mas, no momento, eu tô pronto aqui para acompanhar o presidente Bolsonaro em mais 1 mandato.

A avaliação positiva do governo impulsiona os desejos do presidente de seguir na cadeira. A última pesquisa realizada pelo PoderDatadivisão de estudos estatísticos do Poder360, mostrou que 50% dos brasileiros aprovam o governo de Jair Bolsonaro e 41% desaprovam.

A parcela da população que avalia positivamente a administração federal cresceu 10 pontos percentuais desde o início de julho. A melhora na taxa de aprovação coincide com 1 período de mudança no comportamento do presidente, que passou a evitar falar com a imprensa ou fazer ataques a adversários.

A divulgação do levantamento é realizada em parceria editorial com o Grupo Bandeirantes. Os dados foram coletados de 31 de agosto a 2 de setembro, por meio de ligações para celulares e telefones fixos.

As variações das taxas ficaram dentro da margem de erro (de 2 pontos percentuais) se comparadas com o último levantamento (de 17 a 19 de agosto).

Foram 2.500 entrevistas em 509 municípios, nas 27 unidades da Federação. Saiba mais sobre a metodologia lendo este texto.

TRABALHO DE BOLSONARO

PoderData também perguntou o que os entrevistados acham do trabalho de Bolsonaro como presidente: ótimo, bom, regular, ruim ou péssimo.

A avaliação positiva do desempenho pessoal do presidente ficou estável, considerando a margem de erro de 2 pontos percentuais. Oscilou de 38% para 39% em duas semanas.

Os que acham o trabalho de Bolsonaro “ruim” ou “péssimo” são 34%. Os que o consideram “regular” são 24%. Os percentuais tiveram variação dentro da margem.

Fonte: Poder360.



Categorias:Home, Política

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: