É injustificável extensão do auxílio emergencial em 2021, diz Guedes

Despesa é “transitória”, afirma

Congresso avalia hipótese

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou nesta 2ª feira (19.out.2020) que é contra a prorrogação do auxílio emergencial em 2021. Para ele, essa despesa tem caráter transitório e sua extensão é “injustificável“.

A declaração foi feita durante abertura da conferência de negócios US-Brazil Connect Summit. Guedes deu entrevista ao CEO do Citigroup Latin America, Ernesto Cantú.

Também nesta 2ª feira (19.out), o presidente Jair Bolsonaro disse rejeitar a extensão do coronavoucher (como parte do governo se refere ao auxílio emergencial) no próximo ano para cumprir a regra do teto de gastos (que limita as despesas da União). “Eu sei que R$ 600 é pouco para quem recebe, mas é muito para o Brasil; são R$ 50 bilhões por mês. Tem de ter responsabilidade para usar a caneta”, afirmou.

Congressistas favoráveis ao governo estudam a hipótese de prorrogar o estado de calamidade em 2021. Com isso, o governo poderia pagar o auxílio emergencial até março e ganhar tempo para formular Renda Cidadã, novo programa social que amplia o Bolsa Família. O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), diz ser contra a extensão do estado de calamidade.

Fonte: Poder360.



Categorias:Economia, Home

Tags:, , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: